Quarta-feira, 3 de Julho de 2013

Entrevista ao Diário Insular

1 - O Governo Regional acaba de anunciar que os apoios futuros às IPSS - Instituições Particulares de Solidariedade Social serão estipulados num valor único por utente, majorado por serviços específicos prestados. Como avalia este princípio?

 


Este novo modelo de financiamento está concebido, foi já apresentado pela tutela mas ainda não existe a experiência da sua aplicação pelo que será prematuro antecipar eventuais consequências ou elações acerca do seu sucesso. Os pressupostos em que assenta foram apresentados e, apesar de aparentemente coerentes, suscitam algumas reservas junto dos responsáveis institucionais. Em algumas instituições de maior dimensão, com serviços específicos e com quadros técnicos já razoavelmente numerosos, o valor único por utente poderá traduzir-se num valor global insuficiente para manter as respostas sociais em funcionamento sem comprometer o quadro de pessoal, nomeadamente o quadro técnico e, por conseguinte, sem afetar a qualidade dos cuidados prestados. Este modelo poderá ainda implicar a revisão dos modelos de gestão das próprias instituições; a revisão periódica do valor único por utente, por parte da tutela, bem como uma nova relação entre a tutela e as instituições nomeadamente no âmbito das convenções coletivas que determinam obrigações laborais das entidades empregadoras perante os seus recursos humanos. Isto porque é preciso ter em atenção que muitas das nossas instituições dependem, quase exclusivamente, do financiamento público ao abrigo da figura dos protocolos de cooperação até agora existentes.

 


2 - Já se levantaram vozes avisando que os preços unitários não podem ser iguais de Santa Maria ao Corvo, tento em atenção as economias específicas de cada ilha. Pelo que conhece da realidade, é sensível a este argumento?

 

Sim, certamente, a realidade económica é diferente de ilha para ilha bem como o rendimento dos agregados familiares em geral e dos idosos em particular. Este poderá constituir um fator importante a ter em atenção na aplicação deste novo modelo de financiamento. A tutela terá, certamente, na aplicação do modelo, atenção especial relativamente ao impacto que este terá nomeadamente nas chamadas ilhas de coesão.

 


3 - O nosso jornal defende que os apoios unitários concedidos às IPSS por utente também devem estar disponíveis para as famílias que queiram manter os idosos em casa.Qual a sua posição?



Concordo plenamente com essa solução. Devidamente implementada, e com acompanhamento técnico, em ordem a verificar e garantir a responsabilidade familiar e a efetiva aplicação desta medida completamente a favor da pessoa idosa cuidada, seria uma excelente solução para muitos idosos evitando ou retardando o internamento em Lar.


 

Dra. Maria Manuela Sousa

 

*Socióloga na Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo

 

sinto-me:
publicado por servoluntariosempre às 11:51
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Entrevista ao Diario Insu...

. Até já!

. Boas Festas!

. Dia Mundial da Saudação

. Prémio BPI

. A Solidariedade

. Entrevista ao Diário Insu...

. Entidades Familiarmente R...

. Afetos com 4 patas

. Coro da Academia Sénior, ...

.arquivos

. Junho 2014

. Abril 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

blogs SAPO

.subscrever feeds